.

Glitter Photos

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

EDUCAÇÃO - André Luiz

O amor é a base do ensino. Professor e aluno; cooperação mútua.

O auto-aprimoramento será sempre espontâneo. Disciplina excessiva;
 caminho de violência.

A curiosidade construtiva ajuda o aprendizado. Indagação ociosa; 
dúvida enfermiça.

Egoísmo n'alma gera temor e insegurança. Evangelho no coração; 
coragem na consciência.

Cada criatura é um mundo particular de trabalho e experiência. 
Não existe vocação compulsória.

Toda aula deve nascer do sentimento. 
Automatismo na instrução; gelo na idéia.

A educação real não recompensa nem castiga. 
A lição inicial do instrutor envolve em si mesma 
a responsabilidade pessoal do aprendiz.

Os desvios da infância e da juventude refletem os desvios da madureza. Aproveitamento do estudante; eficiência do mestre.

Maternidade e paternidade são magistérios sublimes. 
Lar, primeira escola; pais, primeiros professores; 
primeiro dia de vida, primeira aula do filho.

Pais e educadores! 
Se o lar deve entrosar-se com a escola, o culto do Evangelho em casa 
deve unir-se à matéria lecionada em classe, na iluminação da mente 
em trânsito para as esferas superiores da Vida.

Fonte: ENVIADO por: http://groups.msn.com/RaiosdeLuz
Autor Espititual:
André Luiz
Psicografada por: Médium: Chico Xavier 




No Livro: Evangelho Segundo o Espiritismo

CAP.XXV - Buscai e Achareis

Lêr : items 9 a 11 

domingo, 14 de fevereiro de 2016

Vivamos Calmamente - Emmanuel

"Que procureis viver sossegados." - Paulo. I Tessalonicenses, 4:11

Viver sossegado não é apodrecer na preguiça.
Há pessoas, cujo corpo permanece em decúbito dorsal, agasalhadas, contra o frio da dificuldade, por excelentes cobertores da facilidade econômica, mas torturadas mentalmente por indefiníveis aflições.
Viver calmamente, pois, não é dormir na estagnação.
A paz decorre da quitação de nossa consciência para com a vida, e o trabalho reside na base de semelhante equilíbrio.
Se desejamos saúde, é necessário lutar pela harmonia do corpo.
Se esperamos colheita farta, é indispensável plantar com esforço e defender a lavoura com perseverança e carinho.
Para garantir a fortaleza do nosso coração, contra o assédio do mal, é imprescindível saibamos viver dentro da serenidade do trabalho fiel aos compromissos assumidos com a ordem e com o bem.
O progresso dos ímpios e o descanso dos delinquentes são paradas de introdução à porta do inferno criado por eles mesmos.
Não queiras, assim, estar sossegado, sem esforço, sem luta, sem trabalho, sem problemas...
Todavia, consoante a advertência do apóstolo, vivamos calmamente, cumprindo com valor, boa-vontade e espírito de sacrifício, as obrigações edificantes que o mundo nos impõe cada dia, em favor de nós mesmos.


Livro: “Fonte Viva” – Emmanuel / Francisco Cândido Xavier